História dos Bailes de Máscaras

A história dos bailes de Máscaras no Rio de Janeiro.

O Carnaval do Rio não se transformou no maior show do planeta sem uma boa razão. Para entender o verdadeiro significado do Carnaval é aconselhável aprender um pouco sobre a história dos bailes de máscaras.

O Carnaval é rico em tradição, com o primeiro baile de máscaras realizado no ano de 1641. Todo ano o Carnaval traz algo novo e empolgante por esperar. Todo dia do Carnaval do Rio é diferente.

Das fantasias extravagantes com cocares de penas a versões criativas e excitantes usadas pelas passistas e rainhas de bateria, os desfiles do Carnaval do Rio são apresentações tentadoramente brilhantes que representam o verdadeiro espírito da cultura carioca, com uma mistura de tradições africanas e europeias. Do Baile Mágico no Copacabana Palace Hotel ao Baile Gay à Fantasia no Scala Rio, vale a pena investigar como os bailes de máscaras tiveram uma grande influência nesses eventos.

Bailes de máscaras – um evento para a elite

O governador Salvador Correia de Sá e Benvides dedicou o primeiro Carnaval do Rio, em 1641, ao rei Dom João IV, o homem por trás das restaurações das leis de Portugal no Brasil. Uma grande atenção foi dada às celebrações, embora historiadores descartem o uso de máscaras durante o evento. Este foi seguido por outro espetáculo em 1786. No entanto, os historiadores acreditam que a primeira festa de máscaras foi realizada em 1840, no Hotel Itália, no dia 22 de janeiro como parte das celebrações de Carnaval. Contudo, ele só ganhou popularidade três décadas depois, quando uma grande importância foi dada às fantasias. Esses eram eventos luxuosos que segregavam poucos convidados da elite, enquanto outros bailes de máscaras eram realizados para todos. Com o tempo, esses eventos se tornaram mais populares durante o Carnaval do Rio e logo viraram a atração principal das celebrações com o espírito de competição aumentando.

Música nos bailes de máscaras

Com o passar dos anos, hotéis conhecidos e boates começaram a realizar festas de máscaras durante o Carnaval, trazendo um novo significado para diversão.

Esses incluíam uma série de bailes de máscaras de alto nível que logo atraíram a atenção das pessoas de todo o mundo. O Baile Mágico no Copacabana Palace Hotel e outros eventos, como o Baile Oficial da Cidade do Rio de Janeiro, o Teatro Palácio e o Clube Automobilístico do Brasil, preparam o tom para a série de celebrações excitantes que serão realizadas durante o Carnaval. Um estilo distinto de música europeia era predominante na maioria desses eventos, que incluíam a polca, a valsa e a mazurca.

No entanto, no início do século XX, os afro-brasileiros desenvolveram seu próprio ritmo, que veio a ser conhecido como samba, que é agora a espinha dorsal das celebrações do Carnaval do Rio.

Os afro-brasileiros se estabeleceram na parte central do Rio, que é conhecido como o berço do samba. Os bailes de máscaras foram interrompidos durante a Segunda Guerra Mundial, e voltaram em 1947, com a competição principal realizada no Centro do Rio, na Avenida Rio Branco, onde homens e mulheres de todos os estilos de vida se multiplicavam disputando a atenção nas fantasias mais coloridas e extravagantes.

Uma opção de baile de carnaval para atender a todos bolsos e estilos de vida

Com o surgimento das escolas de samba e de fantasias elegantes e exóticas, o Carnaval do Rio foi testemunha de um aumento no número de bailes de máscaras, embora as fantasias tenham se tornado menores. Dentre a elite e bailes de máscaras extravagantes que conseguiram sobreviver, está o Baile Mágico no Copacabana Palace e a série de bailes no Scala Rio, agora localizado no Centro do Rio, na Rua Treze de Maio, 23. Além do Sambódromo, o Carnaval do Rio hoje tem bailes para todos os bolsos e estilos de vida.

Rio Carnival

Get on the List Now! Be part of the fun. Enjoy early bird specials on tickets, hotels, and airfare
security code